Será que ainda existe "Dons de Línguas"?

Atualizado: Out 22

" Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine". (I Coríntios 13:1)


A primeira ocorrência desse fenômeno é logo após a ascensão de Jesus Cristo aos céus e é no capitulo 2 de Atos que se menciona tal dom pela primeira vez. Podemos notar que o primeiro versículo menciona que todos estavam reunidos para a festa de Pentecostes.

Pentecostes é o nome grego atribuído à festa judaica conhecida por Festa das semanas que é celebrada 50 dias após a festa da pascoa. E é uma festa que servia para render graças a Deus pela comida que Ele havia providenciado ao seu povo. Portanto essa festividade ocorria ao fim da primeira colheita daquele ano e os judeus se reuniam para oferecer as primícias, as primeiras porções de suas colheitas à Deus. É considerada a segunda maior festa judaica, sendo a primeira a páscoa. Por esse motivo muitos judeus viajavam longas distancias, saindo de suas cidades, e até mesmo de seus países e caminhavam para Jerusalém para render graças a Deus. O próprio versículo 5 deixa isso bem claro: “Ora, estavam habitando em Jerusalém judeus, homens piedosos, vindos de todas as nações debaixo do céu” (V. 5).

O fato que quero destacar aqui é que Deus escolheu essa festa para dar inicio à uma nova era. Os sacrifícios e holocaustos ficariam pra trás e Jesus se tornaria ali o cabeça da então formada IGREJA DE CRISTO. Ele próprio diz a seus discípulos pouco antes de subir aos céus “Porque João, na verdade, batizou com água, mas VÓS SEREIS BATIZADOS COM O ESPÍRITO SANTO, não muito depois destes dias” (Atos 1:5). Vós quem? Nós? hoje? Ou os discípulos? Bem, Lucas ao escrever o livro de atos pode responder essa pergunta: “Escrevi o primeiro livro, ó Teófilo, relatando todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar até ao dia em que, depois de haver dado mandamentos por intermédio do Espírito Santo AOS APÓSTOLOS QUE ESCOLHERA, foi elevado às alturas”. (Atos 1:1-2) o versículo 3 inicia destacando mais ainda a quem se dirigia a promessa do batismo do Espírito Santo: A ESTES TAMBÉM, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas provas incontestáveis, APARECENDO-LHES durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus” (Atos 1:3).

Já o verso 4 por si só já seria suficiente para demonstrar que o batismo que Jesus se referia era para os discípulos e não para nós. “E, comendo com ELES, DETERMINOU-LHES que não se ausentassem de Jerusalém, MAS QUE ESPERASSEM A PROMESSA DO PAI, a qual, disse ele, de mim ouvistes” (Atos 1:4) Qual promessa? A de ser batizado pelo Espirito Santo mencionada no verso 5 que já lemos. Esse é o primeiro ponto que quero destacar sobre esse tema, essa promessa não foi dada a todos, mas somente aqueles que estavam reunidos para a festa de pentecostes naqueles dias. Atos 1:15 chega inclusive a dizer um número de pessoas que aparentemente ouviram essa promessa “Naqueles dias, levantou-se Pedro no meio dos irmãos (ora, compunha-se a assembleia de umas cento e vinte pessoas) [...]” Atos 1:15.

É em Atos Capitulo 2 que veremos essa promessa acontecer de verdade e o verso 1 inicia dizendo: “Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam TODOS REUNIDOS NO MESMO LUGAR (Atos 2:1) Que lugar? No cenáculo (Atos 1:12-15), reunidos todos com as 120 pessoas [Atos 1:15] unanimes em oração (Atos 1:14). Em seguida nos versos 2 à 4 vemos como sucedeu a descida do Espirito Santo, gostaria de apontar alguns pontos importantes que devemos considerar:

“de repente, veio do céu um som, COMO DE um vento impetuoso [...]
O som que eles ouviram foi comparado ao som de um vento intenso, forte, ou seja, o autor usou aqui uma figura de linguagem chamada ALUSÃO para descrever como era o som, com isso, podemos agora imaginar que som era esse que eles ouviram, algo que seria impossível sem o uso dessa figura de linguagem.

[...] e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas [...]
A palavra grega traduzida por línguas é essa aqui: γλῶσσα [glóssa], que significa literalmente uma língua, um idioma.

[...] COMO DE fogo [...]
Novamente o autor usa a mesma figura de linguagem, ALUSÃO, para descrever como era a língua que ele via. Pergunta: O som era um vento literal? Não! Então a língua de fogo também não!

[...] e pousou uma sobre cada um DELES [...]
Deles quem? Os que estavam reunidos, os 120, vale reforçar isso a todo momento. Outro destaque aqui é a palavra traduzida por “pousou”, que é mais uma alusão utilizada pelo autor para indicar que os idiomas, as línguas foram distribuídas entre eles].

[...] Todos ficaram cheios do Espírito Santo E PASSARAM A FALAR EM OUTRAS LÍNGUAS segundo o Espírito lhes concedia que falassem” (Atos 2:2-4)
Novamente o termo grego γλῶσσα [glóssa] é utilizado aqui, ou seja, eles começaram a falar em outros idiomas.
Há aqueles que discordam do fato desse dom ser idiomas, mas nesse caso eu não saberia o que fazer com os próximos versículos então: “Ora, estavam habitando em Jerusalém judeus, homens piedosos, VINDOS DE TODAS AS NAÇÕES DEBAIXO DO CÉU. Quando, pois, se fez ouvir aquela voz, afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade, porquanto cada um os ouvia falar NA SUA PRÓPRIA LÍNGUA (Atos 2:6-5). Não se convenceu ainda? Note o verso 8 “E como os ouvimos falar, cada um EM NOSSA PRÓPRIA LÍNGUA MATERNA? (Atos 2:8). Eles estavam ouvindo seus próprios idiomas, lembre-se que eles moravam em outros países como já falamos anteriormente e estavam em Jerusalém somente para festa de pentecostes e os apóstolos não tinham tempo de se matricularem em uma escola de idiomas e aprender as línguas das 16 nações mencionadas nos versos 9 à 11: “Somos partos, medos, elamitas e os naturais da Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia, da Frígia, da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia, nas imediações de Cirene, e romanos que aqui residem, tanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios. Como os ouvimos falar EM NOSSAS PRÓPRIAS LÍNGUAS as grandezas de Deus?” (Atos 2:9-11). O milagre foi necessário para pregar o evangelho e por isso Deus deu esse dom a eles.

[Lá, Lá, Lá Lá...], [Ré, té, té...], [Calamanaia...], [Shi, Shi, Shi...] e outros barulhos não tem nada a ver com o dom de línguas mencionados aqui em atos, pois o Senhor é um Deus que exige ordem e decência e alguém que balbucia tais sons atribuindo ao Espirito Santo, sem base bíblica alguma é no mínimo triste. E se você afirma ter esse dom hoje, você infelizmente tem deixado suas emoções tomarem conta de você e tem entrado em alguma espécie de transe hipnótico ou algo assim, pois todos os exemplos Bíblicos de anjos falando é na língua da pessoa com que eles falaram e nunca houve um relato de ser algo com os sons que mencionei.
Mas eu tenho uma teoria do porque muitos acham que esses sons são dons de línguas. Quando ouvimos outro idioma que não conhecemos ou que não estamos acostumados a ouvir, ele soa como um monte de sons desconectados que não tem nada a ver, mas para quem fala aquele idioma a comunicação é feita com sucesso. E eu vejo que em Atos 2 os que não falavam aquele idioma inclusive pensaram o mesmo que eu e até chegaram ao ponto de dizer que os apóstolos estavam embriagados, pois não entendiam nada do que eles falavam (Atos 2:13).

Outros afirmam que Paulo fala desse dom em I Coríntios e tentam validar a existência de línguas de Anjos, mas 1 Coríntios 12 à 14 está justamente tratando o problema que aquela igreja tinha em não compreender os dons espirituais, pois cada um se achava mais espiritual que o outro por ter um dom especifico e os que falavam em outras línguas aparentavam ser os mais problemáticos no meio deles. Tanto que Paulo no capitulo 12 deixa bem claro que cada um tem uma parte importantíssima no corpo de Cristo e no capítulo 13 ele compara os dons ao amor, ele inclusive utiliza aqui outra figura de linguagem chamada de hipérbole, onde ele exagera para mostrar que o amor ainda é superior. Note o verso 1: AINDA QUE eu fale as línguas dos homens e dos anjos, SE NÃO TIVER amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine” (I Coríntios 13:1). Em momento algum Paulo diz que seja possível falar línguas de anjos, ele está exagerando, ainda que isso fosse possível, se não tiver amor de nada serviria. Não adianta você ter um “dom” e não amar o próximo, não tem valor algum.
No capitulo 14 é onde ele estipula as regras pra quem diz ter esse dom, ele basicamente diz que se não houver alguém que precise ouvir a mensagem de Deus que a pessoa que fala em outra língua fique calado e chega até dizer: “Contudo, prefiro falar na igreja cinco palavras com o meu entendimento, para instruir outros, a falar dez mil palavras em outra língua” (I Coríntios 14:19).
Quando os apóstolos falavam em línguas em atos havia um conteúdo e esse era mais importante do que o Dom em si, a pergunta é, que conteúdo é esse? Voltando para Atos 2:11 os que entendiam as línguas que estavam sendo faladas pelos apóstolos fizeram uma pergunta “Como os ouvimos falar em nossas próprias línguas as grandezas de Deus?” (Atos 2:11) nos versos 14 à 36 vemos o apóstolo Pedro falando quais grandezas são essas, ele faz uma retrospectiva da lei apontando para Jesus Cristo e vemos ele desafiando aquelas pessoas aceitarem Cristo e se converterem a Ele, Pedro desafia: “E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Atos 2:21). Pedro convida o povo ao arrependimento (Atos 2:38) e somente naquele dia mais de 3000 mil pessoas se converteram (Atos 2:41).
É um dom necessário hoje? Não! Eu falo inglês por exemplo, mas eu paguei pra aprender não foi dom gratuito não, e hoje existem varias escolas que ensinam muitas línguas. Hoje com a globalização existem bíblias em diversas línguas, missionários pregando em todo canto e a facilidade de muitos se converterem sem a necessidade desse dom que foi necessário para o inicio da igreja. Pensa comigo, aqueles estrangeiros que estavam em Jerusalém voltaram para seus países com a mensagem da cruz e o evangelho foi espalhado por todo o mundo, hoje até nós, mais de 2000 anos depois ainda falamos sobre aqueles 120 homens que pregaram essa mensagem em outro idioma. Não se engane, não faça disso o foco do cristianismo, Jesus é o único que merece a honra e a glória e não um ‘pseudo-dom’. Inclusive o próprio Jesus não falou em línguas, isso significa que ele não tinha o espirito santo? Ou que ele era inferior aos que “falam em línguas”? Não, simplesmente não era hora e nem havia a necessidade. Lembre-se que João Crisóstomo um dos mais importantes patronos do cristianismo primitivo, o primeiro a interpretar a glossolalia em I Coríntios 12, 13 e 14 questiona a ausência desse dom em sua época dizendo “Por que então eles aconteceram, e agora não mais?”
A mensagem é mais importante do que o instrumento usado para enviá-la, portanto foco na mensagem! Jesus te ama e quer te salvar!

And don’t forget to leave your comment below!


24 visualizações0 comentário