Será que os cristãos realmente tem que cumprir a lei mosaica?

É recorrente comentários afirmando que a lei mosaica deve ser cumprida ainda por nós, cristãos. Interessante que seguindo a lógica das pessoas que argumentam isso, não é necessário guardar o sábado, nem restringir alguns tipos de alimentos. Então será que devemos cumprir a lei? Seja ela moral, cerimonial ou civil?
A resposta seria um grande NÃO!

Não estamos mais debaixo da lei Mosaica, uma lei conferida a Israel e sua nação. Geralmente esse argumento é utilizado por pseudocristãos que acreditam na salvação através das obras e se consideram tão importantes e fantásticos ao ponto de crerem que precisam ajudar Jesus a salvá-los. Para defender seus argumentos geralmente recorrem ao sermão do monte, onde Jesus disse:

“Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir” (Mateus 5:17)

Contudo, Jesus não está afirmando que nós, os cristãos, estamos debaixo da lei aqui, ele está colocando o revogar e o cumprir em contrates aqui. Ou seja, Jesus não veio para ser um adversário da lei, mas sim um cumpridor da lei. Veja:

- Jesus obedeceu a lei;
- Jesus honrou a lei;
- Jesus amou a lei;
- Jesus cumpriu a lei.

E Jesus não só cumpriu a lei como também as profecias e até a maldição imposta pela lei.

No verso 18 de Mateus 5, Jesus diz que não passará céu e terra sem que a lei se cumpra. E é verdade, ele realmente cumpriu essa promessa, sabe como? Vamos refletir um pouco:

Quando foi que Jesus proferiu tais palavras? No início de se ministério!
A lei já havia sido cumprida? Não!
O que Jesus disse no fim de seu ministério? A resposta está em Lucas 24:44, quando após sua ressurreição ele aparece aos discípulos, veja suas palavras:

“A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos” (Lucas 24:44).

Os céus e a terra tinham passado? NÃO! A lei então foi cumprida antes dos céus e a terra passarem! A promessa de Jesus foi verdadeira e foi cumprida nele!

Paulo disse em Romanos 10:4 que o fim da lei é Cristo, e é exatamente isso que Jesus estava afirmando. Jesus foi o cumprimento da lei, cumpriu aquilo que nós somos incapazes de cumprir. Feito isso, o caráter jurídico da lei é retirado de nós, os cristãos, e então somos colocados debaixo da lei de Cristo.

“Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê” (Romanos 10:4)

Paulo também escreveu: “Mas, antes que viesse a fé, estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se. De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé. Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio”. (Gálatas 3:23-25)

O que podemos concluir então? Que não estamos mais debaixo da lei mosaica, mas debaixo da lei de Cristo. E essa lei é perfeita, pois é capaz de nos dar vida através da Nova Aliança de seu sangue.
Paulo também escreveu: “Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade”. (Efésios 2:13-16)

Talvez você argumente então: “Ah Thiago, mas aí fica fácil, posso aceitar Cristo e continuar pecando?” e eu te respondo, claro que não! Jesus nos comprou com seu sangue, somos propriedade exclusiva dele e uma vez que cremos que ele morreu pelos nossos pecados e que ressuscitou dos mortos, somos salvos. Mas, após a salvação inicia-se o processo de santificação, e nesse processo imediato é exigido muito mais do que a lei mosaica exigia.

Não se engane, a salvação custou muito caro, Jesus pagou esse preço, agora ele exige de nós, após crermos nele, que sejamos santo como ele é santo! Se vivermos uma vida de pecado, sem arrependimento, achando que tudo está bem, há grande indicio de que não entendemos nada e nunca fomos salvos. Para mais compreensão disso, reflita neste texto de 1 João 3:4-6:

“Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei. Sabeis também que ele se manifestou para tirar os pecados, e nele não existe pecado. Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu” (1 João 3:4-6).
22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo