A desculpa mais preguiçosa de hoje: "A letra mata"

Atualizado: Out 22

Essa é uma desculpa utilizada por aqueles que tem preguiça de estudar a Bíblia e tentam citar um versículo (que nem sabem aonde se encontra) com o intuito de desencorajar quem procura se apresentar aprovado a Deus. Contudo, 2 Coríntios 3 não é nem de longe um texto que afirma que não devemos estudar. Vamos ver então o que o texto realmente diz?

Triste durante um evangelismo ou durante uma conversa sobre a Bíblia alguém vire pra você e diga:

“Pare de estudar a Bíblia, porque a letra mata”.

Mais triste do que isso é saber que a pessoa que defende esse pensamento realmente acredita que o que o Apostolo Paulo ensinou em 2 Coríntios 3:6 que nós, cristãos, não devemos estudar a Bíblia por ela ser a tal letra que mata mencionada ali.

Rapidamente gostaria de meditar sobre esse texto e analisarmos se este texto realmente diz isso mesmo e também se devemos ou não estudar a Palavra de Deus!

Paulo escreve essa segunda carta para a igreja de Corinto após alguns problemas que ele teve com aquela igreja, onde ele foi acusado de falso profeta por falsos profetas, mas o problema foi que a igreja não se posicionou em sua defesa. Então, ele escreve uma carta severa para essa igreja, que fazem eles refletirem e voltarem para os caminhos do Senhor.

Com a volta deles para os caminhos do Senhor, Apóstolo Paulo escreve essa segunda carta (que deveria ser a terceira ou a quarta, mas tudo bem, não se sabe o paradeiro das outras duas) para defender seu apostolado e explicar a natureza de seu ministério.

Qual a natureza do ministério do Apóstolo Paulo? Começando no capítulo 2, ele se defende dizendo: “Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus” (2 Coríntios 2:17). Ou seja, diferente dos falsos profetas que haviam o acusado de um farsante, ele não está obtendo lucro com a pregação da Palavra, antes sendo sincero em tudo que ele fala sobre Cristo.

O que mais me chama atenção nessa defesa do Apóstolo Paulo é que nos primeiros versos do capítulo 3, ele irá argumentar sobre essa sinceridade em falar da parte de Deus e ele inicia dizendo assim: “Começamos, porventura, outra vez a recomendar-nos a nós mesmos? Ou temos necessidade, como alguns, de cartas de recomendação para vós outros ou de vós?” (2 Coríntios 3:1).

Ou seja, será que é necessário mesmo recomendação do meu ministério? A resposta é obviamente um NÃO! Pois como ele menciona no verso seguinte, a obra de Deus feita naquela cidade grega é a maior carta de recomendação que ele precisava. No entanto, o Apóstolo Paulo não aceita a glória dessa obra, pois essa glória é de Cristo e da obra que ele fez no coração daquelas pessoas, note: “Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens” (2 Coríntios 3:2)

No verso 3, ele começa a fazer uma comparação entre a aliança Mosaica e a nova aliança de Jesus Cristo, ele diz: “estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações” (2 Coríntios 3:3). Portanto, a obra feita por Jesus ali não é uma obra gravada em tábuas de pedra, mas no coração de carne. Vamos parar um pouco aqui e relembrar as principais alianças de Deus:

1º Ele fez uma aliança com Noé, prometendo nunca mais destruir o mundo com um dilúvio. Qual foi o sinal dessa aliança? Um arco-íris!

2º Ele fez uma aliança com Abraão, prometendo uma grande nação a partir dele. Qual foi o sinal dessa aliança? A circuncisão!

3º Ele fez uma aliança com Moisés e Israel, prometendo bênção se obedecerem e maldição se desobedecerem. Qual foi o sinal dessa aliança? A tabua de pedra gravada com os 10 mandamentos!

4º Ele fez uma Nova Aliança através do Senhor Jesus, essa é a que nos interessa hoje, pois tem a ver com a nossa dispensação (da Graça). Note as palavras de Jesus no dia da última ceia com os discípulos: “A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados”. (Mateus 26:27-28). Ou seja, a promessa é o perdão dos pecados e a vida eterna a todo aquele que crê na morte substitutiva de Cristo. Qual o sinal dessa aliança? O sangue de Cristo!

Voltando então para 2 Coríntios 3, vemos que o apóstolo Paulo começa a traçar um paralelo entre a aliança Mosaica e a Nova Aliança de Cristo e é interessante, pois a igreja não está mais debaixo da aliança Mosaica, Cristo já estipulou a Nova Aliança e nos comprou com seu sangue. Logo, quando Paulo diz em 2 Coríntios 3:4-5 que sua confiança está na obra de Jesus Cristo, vemos que ele está seguro que não estamos mais debaixo da lei, mas sim da Graça de Jesus Cristo. E no verso 6 ele explica o porquê isso, veja:

“E é por intermédio de Cristo que temos tal confiança em Deus; não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus, o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica”. (2 Coríntios 3:4-6)

Consegue enxergar isso? Paulo diz que a única forma dele defender seu apostolado é através da obra de Jesus feita naquela igreja e que ele sem Jesus não seria capaz de fazer isso, aliás, ele diz que ninguém conseguiria sem Jesus. Ele diz que Deus é quem habilita alguém para ser ministro da nova aliança, e ai ele diz, não da aliança da letra (um referencia aos 10 mandamentos que se utilizava de letras para numerá-los), mas do espírito. Que Espírito? Aquele que dá vida, ou seja, o Espírito Santo de Deus!

Por que a letra mata? Bem, em se tratando dos 10 mandamentos, você consegue cumpri-los? NÃO! É impossível! Até porque se você conseguir cumprir uns e descumprir outros, você já tem motivo suficiente para ser lançado no inferno. Tiago escreveu: “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos” (Tiago 2:10). Logo, todos nós. Isso mesmo, TODOS NÓS SOMOS CULPADOS! Então, por sermos culpados, morreremos. No entanto, não estamos debaixo da aliança Mosaica, pois essa mata. Estamos debaixo da Nova Aliança do Sangue de Jesus, essa dá vida!

O que este texto tem a ver com estudar a Bíblia ou não? NADA! Esse texto por si só é a prova de que só se estudarmos a Bíblia é que iremos compreender o que o Apostolo Paulo escreveu nele! Então pare de desculpinha esfarrapada e vá ler sua Bíblia.
21 visualizações0 comentário